de todas as coisas que são de dizer

João Custódio, 84 anos, no Vale do Piancó, sertão da Paraíba

OS OLHOS SÃO DE UM VIDRO OPACO PELO TEMPO
PUPILA ÁSPERA COMO O SOLO DA CAATINGA
O ROSTO TEM MARCAS QUE SÃO PEGADAS
DEIXADAS POR UM TORMENTO QUE PASSOU
UM RAIO, UM TROVÃO, MAS NA MAIORIA DAS VEZES APENAS A SECA
A PELE RASGADA PELOS CORTES QUE O PASSADO PROVOCA
E O PRESENTE NÃO CONSEGUE APAGAR
JOÃO, VIVENTE DESTA VIDA
SOBREVIVENTE DE TANTAS OUTRAS
TRAZ NA FRONTE A SÁBIA DECISÃO DE QUEM RESISTE
CARREGA NO CORAÇÃO O ABOIO DOS FELIZES, EMBORA TRISTE
E SEGURA NAS MÃOS A CUSTÓDIA DA TERRA

* Poesia de Fernando Parracho

Advertisements